Esculturas de uma Sociedade Vulnerável, série 2018

Pigmento mineral sobre papel algodão  

90 x 100cm 

Edição 1/5 x 2PA

Indicação ao Prêmio  Aquisição do Museu de Fotografia de Fortaleza  |  Leitura de Portfolio  FestFotoPOA 2019, RS

[ Associado ao FestFoto Houston, USA, TX }

Exposição coletiva REPOSICIONAMENTOS, 2019  |  New Gallery, São Paulo, SP

 

Foto: Arquivo FestFotoPoa/ Roberta Ribeiro

 

>

Esculturas de uma Sociedade Vulnerável é o segundo capítulo do projeto principal - Estudos sobre a Dignidade da Pessoa Humana, fragmentos do atual cenário político-sócio-econômico no Brasil. Especificamente, as imagens foram tiradas na Avenida Paulista e ao redor, onde ando diariamente - um bairro de alto padrão, e um dos principais distritos financeiros da cidade de São Paulo.

 

Neste capítulo II, meus estudos se concentraram nas fotos que foram feitas de pessoas que estão abrigadas nas ruas, totalmente envoltas por materiais frágeis para se protegerem, como plásticos pretos, cobertores ou papéis de caixa. Nós não podemos ver seus corpos e, muitas vezes, sermos capazes de reconhecê-los como seres humanos, exceto quando eles raramente se movem.

Este cenário chama a atenção para uma condição humana muito frágil que é denominada * vulnerabilidade social, mas usualmente  negligenciada pelos transeuntes e pelo poder publico.

 

Quando cubro essas fotografias (originais) com pintura digital, pretendo "descobrir" conceitualmente e revelar algo oposto causado por seu status atual. Dessa maneira, busco através dessas esculturas revelar talvez a maior essência humana que esses indivíduos perderam ao longo do tempo na sociedade - representatividade e identidade pessoal.

[ Identidade é algo que nos define, nos dá valores, e nos posiciona em uma sociedade. E leva anos para se formar ] 

*vulnerabilidade social é o conceito que caracteriza a condição de grupos de indivíduos que estão perdendo sua representatividade na sociedade. Eles são encontrados em um declínio acentuado do bem-estar básico e de direitos humanos.